quarta-feira, 14 de julho de 2010

NEEMIAS

“Assim os purifiquei de tudo o que era estrangeiro, e determinei os cargos para os sacerdotes e para os levitas, cada um na sua função; como também o que diz respeito à oferta da Lena em tempos determinados e bem assim as primícias. Lembra-te de mim, Deus meu, para o meu bem” (Ne. 13:30-31).
Antes de os muros de Jerusalém serem reconstruídos pelo ministério de Neemias, ele era copeiro do rei Persa, o que lhe conferia muita popularidade e riqueza. Entretanto, sua elevada posição não lhe impediu de se compadecer de seu povo, cuja cidade estava totalmente destruída e o povo passava por grande necessidade. Foi, inclusive, neste tempo que Neemias sentiu no seu coração que o Senhor queria contar, não apenas com as suas interseções, mas com a sua vida e serviço.
Ao meu ver, o que mais se destaca no ministério de Neemias é a sua capacidade de resolver problemas e exercer justiça, tudo isto baseado na sua dependência de Deus, tão bem evidenciada pelas Escrituras.
1. O ministério de Neemias. O ministério deste servo fiel do Senhor passou, assim como acontece com cada um de nós, por várias etapas:
A) O chamado (Ne. 1). É bem verdade que na maioria das vezes, não é a necessidade que faz o chamado. É preciso muito mais do que conhecer a realidade de um povo para saber que Deus o chamou para trabalhar com ele. Entretanto, para Neemias, foi suficiente saber do estado do seu povo para entender que Deus o tinha colocado no lugar ideal para que ele pudesse trazer os Israelitas do cativeiro e dar àqueles que já estavam na cidade arruinada de Jerusalém, condições dignas de vida.
B) Um propósito definido. Não há como ter um chamado onde você não tem a menor idéia do que vai fazer lá. Quando Neemias estava orando, o Senhor lhe mostrou de que forma ele mesmo poderia ser útil: ele poderia ser o que comandaria a reconstrução dos muros da cidade. Assim, vale fazer duas colocações: Quando Deus nos chama, ele nos dá um propósito claro, ainda que as estratégias para alcançar este propósito possam variar, de acordo com a necessidade. E a segunda é que sempre que nós formos orar por uma situação, devemos estar prontos para sermos a resposta de Deus para as nossas próprias orações.
C)O preparo. Neemias não fazia nada sem um planejamento prévio. Antes de decidir como ajudar seu povo, ele orou; antes de falar com o rei, ele buscou ocasião oportuna e orou (Ne. 2); antes de ir para Jerusalém reconstruir os muros, ele calculou os gastos e o tempo que passaria lá, na medida do possível, bem como pediu ao rei todos os documentos necessários para fazer seu trabalho sem impedimentos.
D) O início do trabalho. Antes de começar a reconstrução, Neemias rodeou a cidade, afim de saber exatamente o que teria que fazer (Ne. 2:12-15), e somente depois contou com a ajuda dos demais (Ne. 2:16-18). Depois disso, dividiu-os em equipe, afim de poder terminar o trabalho em tempo hábil.
E) As adversidades do trabalho. Mesmo tendo sido chamados por Deus, nem tudo são flores, e Neemias sabia disso muito bem. As lutas viriam de fora, com Tobias e Sambalate (Ne. 4; 6), mas também de dentro, com as injustiças cometidas pelo povo que tinham que ser desfeitas por Neemias (Ne. 5). Assim também nós, com certeza sofreremos muito no nosso ministério, tanto com lutas internas quanto externas. Com tudo, todas as lutas cooperam para o engrandecimento do nome de Jesus, e as internas, especialmente, cooperam para o desenvolvimento do caráter Cristão em todos os membros.
F) Alvo alcançado não significa fim de trabalho. Agora o muro já havia sido edificado, e todos aprenderam a reconhecer a grande obra que o Senhor havia feito (Ne. 6:15-16). Entretanto, o trabalho continuou, assim como os conflitos (Ne. 6:17-20). Agora, porém, era o mento de Neemias tomar algumas providências:
I. Preparar liderança (Ne. 7:1-3).
II. Organizar o povo por famílias, verificar as posses de cada um, afim de fazer uma boa administração do povo (Ne. 7:4- SS).
III. Resgatar o culto e a adoração (Ne. 8-10).
G) O fim do trabalho. Neemias vai até o fim de tudo quanto o Senhor colocou em suas mãos. Ele diz que terminou quando purificou o seu povo de todos os pecados, o que nos mostra que mais do que trazer benefícios físicos, econômicos, sociais, ele trouxe benefícios espirituais. A recompensa ele esperava apenas do Senhor (Ne. 13:30-31).
2. O caráter de Neemias:
A) Ele tinha empatia com o sofrimento de seu povo (Ne. 1:4; 2:3).
B) Ele era intercessor (Ne. 1:5-11).
C) Ele dependia de Deus (Ne. 2:4).
D) Ele Sabia se portar com humildade (Ne. 2:5).
E) Sabia exatamente quem eram os seus inimigos e tinha postura firme, mas dependente de Deus em relação a eles (Ne. 2:11, 19-20; 4; 6).
F) Sabia trabalhar em equipe e reconhecer o trabalho de cada um (Ne. 3).
G) Sabia fazer justiça (Ne. 5; 13).
Meditamos, então, um pouco sobre o trabalho e o caráter de Neemias, um homem que disse sim ao chamado e lutou pelos interesses do Reino, e não apenas pelos seus. Que nós possamos, igualmente, reconstruir os muros da nossa família, povo, nação, para a glória de Deus, trazendo restauração e santidade aonde quer que o Senhor nos plantar.

Um comentário:

  1. Paz do Senhor,

    Parabéns, pelo seu trabalho neste blog. Que Deus em Cristo Jesus continue lhe abençoando poderosamente.

    Estou seguindo o vosso blog.

    Aproveito pra lhe convidar a visitar meu blog também. Avivamento pela Palavra é um blog voltado aos amantes da Bíblia sagrada como Verdade Absoluta e que só através Dela seremos mais crentes e mais cheios do Espirito Santo. Comente, pois seus comentários são muito importante para mim poder estar sempre em melhorias no meu blog.

    http://www.alexandrepitante.blogspot.com/

    Siga-nos também.

    Fica com Deus.
    Abraço em Cristo, Alexandre Pitante.

    ResponderExcluir